Tuesday, December 06, 2005

Entrevista c/ Resposta Simples


De volta ás entrevistas promocionais, a Manifesto Sounds esteve á conversa com os RESPOSTA SIMPLES, que para quem não sabe são uma banda punk/hardcore originária dos Açores, já com três anos de existencia e já com provas dadas no circuito underground nacional.
Aqui fica a entrevista:


Quem são os Resposta Simples e como se formou a banda?
Os Resposta Simples são actualmente formados por Paulo Lemos na Voz e Guitarra, João Pedro no Baixo e Coros e João Tiago na Bateria e Coros. Somos todos Açorianos, provenientes da Ilha Terceira. A banda formou-se em inícios de 2003 devido a uma grande força e vontade de criar música e principalmente por fazer algo que vivíamos e que nunca tinha sido criado até então no arquipélago, o punk hardcore. Apesar de sermos todos açorianos, estamos os três a viver de momento no continente português, embora estejamos ainda separados: o Paulo vive em Lisboa, o Tiago em Vila Real e o João Pedro na Covilhã. Contudo, isso não nos impediu nem nos impedirá de continuar com uma enorme vontade o nosso projecto!

Qual o objectivo primordial na criação e surgimento da banda?
Penso que o objectivo primordial foi unânime como a todas as bandas do género, ou seja, passar uma mensagem e expressar-nos assim de uma forma artística. Ter uma banda significa muito mais do que música, e os Resposta Simples não são excepção nenhuma, e, embora correndo o risco de parecer cliché, a banda para nós transmite-nos uma forma de viver e isso revela-se nas pessoas que conhecemos, nos amigos que mantemos, no som que divulgamos e na reacção das pessoas perante a nossa sonoridade e tudo mais que envolve a banda.

Quais têm sido as reacções ao vosso trabalho desde o inicio da banda até a actual data?
Tal como já tinha dito, surgimos nos Açores e como banda pioneira do punk hardcore a reacção das pessoas não era sempre a esperada. A Ilha Terceira tem uma vertente muito mais inclinada para o Metal e assim a nossa sonoridade era sempre encarada com um “olhar de lado”. Contudo, com o decorrer dos concertos e com o manter do projecto as pessoas começam-nos a encarar de uma forma mais séria. Desde que estamos os três a viver no continente português temos tido também outras oportunidades, já tocámos várias vezes aqui e felizmente temos tido uma boa reacção ao nosso trabalho.

Como tem corrido a divulgação e promoção da banda perante o publico e a nivel de concertos?
Tem corrido de uma forma bastante positiva e estamos satisfeitos. O nosso novo EP “Revolução Pessoal” tem sido alvo de críticas positivas e está de momento a ser distribuído por variadas distribuidoras a nível nacional. Quanto à reacção do público, tal como acontece com todas as bandas, é-nos sempre difícil dizer com certeza a sua opinião, mas pensamos que temos transmitido uma boa energia e genuína vontade de tocar e o público sente isso. Várias pessoas do público, distribuidoras e bandas vêm falar connosco com uma mensagem de apoio e de agrado, e isso é sempre algo damos muito valor e que nos dá também forças para continuar sempre em frente.

Com uma cada vez maior saturação na cena musical nacional alternativa face a um enorme surgimento de novas bandas, até que ponto os Resposta Simples se podem destacar?
Variadíssimas pessoas dão certo valor aos Resposta Simples pelo facto de termos quebrado umas das barreiras musicais mais proeminentes ao povo açoriano, ou seja, a insularidade. Se as bandas continentais portuguesas se queixam de não terem oportunidades ou concertos, nos Açores essas mesmas oportunidades são muito mais escassas e o público que as aprecie é praticamente nulo. Lutámos muito para começar com o projecto na Ilha e muito mais combatemos para continuá-lo aqui, no continente português. Sendo assim, quem somos nós? Um trio açoriano com uma enorme vontade de tocar, de passar uma mensagem e de quebrar barreiras que nos são impostas. E sem querer nunca desvalorizar outras bandas, se pões assim a questão de como nos podemos destacar, apenas te podemos dizer pelo nosso feeling, sonoridade e atitude.

Como vêem actualmente os apoios dados às bandas nacionais do circuito underground, a nível de divulgação, promoção (etc) ?
Tal como já mencionamos na questão anterior, desde que estamos a viver no continente português damos muito mais valor ao circuito underground e às oportunidades que existem. E não é velha a questão do “não tinham nada e agora contentam-se aqui com o pouco que existe”, mas é sim o lado inverso da moeda que lá está e que se calhar muitas as pessoas não se apercebem. Desta forma, notamos que por várias vezes as oportunidades lá estão, mas não são aproveitadas. Estares numa banda não é só o trabalho que expões quando vais ao vivo tocar, existe um trabalho de promoção e de esforço de “background” que não é (e nem pode) ser notado pelo público quando vais actuar. E é precisamente esse trabalho que muitas vezes não é feito pelas pessoas. Contudo, é claro que são necessários muitos mais apoios e divulgação para as bandas portuguesas, que muitas vezes em comparação com os projectos estrangeiros, acabamos por ser desvalorizados. Mas é também preciso não esquecer que existe ainda actualmente um grande trabalho pelas pessoas em geral para manter a cena viva, seja o trabalho de editoras, distros ou particulares. Sendo assim, acreditamos e vemos também as mentalidades a mudarem e as pessoas a darem cada vez mais valor aos projectos portugueses e isso é algo que nos agrada muito e encaramos e esperamos assim um futuro melhor na nossa cena musical.

Até que ponto na vossa opinião acham que os Resposta Simples podem ser incluídos num determinado movimento musical ou cena musical?
Os Resposta Simples não se esforçam por se enquadrar ou rotular-se num determinado som ou movimento, seja ele musical ou político. Enquadramo-nos e sentimos a cena portuguesa (ou movimento, como preferirem), pelas as nossos ideias e sonoridade identificarem-se com esta. Nada forçámos e de forma alguma enquadrámos propositadamente a nossa mentalidade para tal acontecer, isto é algo natural e sentido, que foi genuinamente acontecendo.

Está nos planos da banda algum lançamento discográfico para breve?
Sim, estamos de momento em conversações para o lançamento do nosso primeiro álbum. Temos já em mente dois estúdios para tal efeito, mas ainda não nos decidimos. Contudo, está já estabelecido que deveremos começar a gravar alguns temas antes do final do ano. O álbum sairá pela Impulso Produções e temos algumas surpresas agradáveis tanto para o cd como para os concertos de lançamento deste, que iremos divulgar num futuro próximo.

Para terminar querem deixar alguma mensagem?
Queremos desde já agradecer a todas as pessoas que nos têm apoiado ao longo destes anos e que nos têm dado forças para prosseguir. Correndo novamente o risco de parecer cliché, queremos apoiar e incentivar as pessoas dentro da cena a não se desmotivarem e entreajudarem-se sempre que possível. Muitas dos nossos objectivos não teriam sido cumpridos se não fosse pela boa vontade de algumas pessoas, e aqui incluo pessoas de grande carácter, bandas, distros, portais musicais e afins. Um grande obrigado a todos e continuem sempre! A cena é composta por nós e pertence-nos a todos!

Site: http://www.respostasimples.net
http://www.myspace.com/respostasimples

email: respostasimples@hotmail.com